Bodes Expiatórios

“The ego defense of displacement plays an important role in scapegoating, in which uncomfortable feelings such as anger, frustration, envy, guilt, shame, and insecurity are displaced or redirected onto another, often more vulnerable, person or group. The scapegoats—outsiders, immigrants, minorities, deviants—are then persecuted, enabling the scapegoaters to discharge and distract from their negative feelings, which are replaced or overtaken by a crude but consoling sense of affirmation and self-righteous indignation.”
https://www.psychologytoday.com/intl/blog/hide-and-seek/201312/the-psychology-scapegoating

Um bode expiatório é uma pessoa ou grupo de pessoas acusadas de um crime ou algo condenável e que não fizeram. Os judeus e depois os “cristãos-novos” (1) costumavam ser os bodes expiatórios na idade média e renascimento. No século XX os judeus foram usados como bode expiatórios tanto na Alemanha Nazi como na União Soviética Estalinista.
O bode expiatório é útil psicologicamente porque dá uma sensação de segurança às pessoas. Uma praga matou milhares de pessoas e gerou o pânico social? Queimem-se umas bruxas na fogueira. E as mesmas bruxas que um dia são vítimas no dia seguinte estão a vitimizar alguêm… porque todos gostamos de criar os nossos bodes expiatórios.
O bode expiatório permite-nos direccionar as nossas emoções mais negativas, as nossas fraquezas e diminui a ansiedade do desconhecido. E todos tem os seus bodes expiatórios. As Terapêuticas Não Convencionais não são imunes aos bodes expiatórios.

Destruidor da classe

Um artigo que desenvolvi bastante (2) estava relacionado com acupuntores que davam ou dão formação a fisioterapeutas. Muitos acupuntores vendem estes colegas como os responsáveis pelos principais problemas da classe. Um deles chamou-me destruidor da classe e não é raro ler ofensas ou testemunhos mais irados por esta clamorosa injustiça.

Podem matar-se os judeus que se quiserem que os problemas económicos vão continuar. Podem perseguir-se os homossexuais que os terramotos vão continuar e podem parar-se com as formações de acupuntores para fisioterapeutas que os problemas da classe vão continuar.

Os bodes expiatórios são bons psicologicamente porque aliviam a ansiedade e o medo e são vantajosos politicamente porque permitem a manipulação das massas por pessoas que não tem capacidade de analisar ou resolver os problemas dessas massas. Mas na realidade só ajudam a manter ou agravar os problemas existentes.

1 – A invasão de competências profissionais é um problema que afeta várias profissões (acupuntura, osteopatia, fisioterapia, podologia, fisiologia de exercício, etc…)
2 – A adoção da acupuntura por outros profissionais de saúde é uma tendência internacional e não focada em cursos nacionais
3 – Os cursos de osteopatia cresceram mesmo sem nenhum destruidor da classe
4 – Os cursos de acupuntura para outros profissionais de saúde já existiam antes e continuaram a existir depois de o “destruidor da classe” deixar de dar cursos.
5 – O problema de acupuntores noutros países como o Reino Unido tem a ver com a falta de formação cientifica e não com outras profissões de saúde fazerem acupuntura.

Os grandes problema da classe não tem a ver com a invasão de competências de outros profissionais mas sim pela falta de competências dos acupuntores.

Se por um lado os acupuntores acusam os seus bodes expiatórios, também são acusados como bodes expiatórios de outros profissionais. Esta é a altura em que as bruxas deixam de queimar e se começam a queimar.

Os terapeutas convencem pacientes a não fazer quimioterapia

Um dos pontos de críticas aos terapeutas das diferentes TNC é a oposição que mostram contra a quimioterapia. É comum lerem-se críticos referir que os terapeutas convencem os doentes a não fazer quimioterapia.

2 autores recentes a usarem este esquema argumentativo foram os médicos João Cerqueira (Scimed) e Vasco Barreto. O primeiro fez em referência a um estudo da universidade de Yale (3) e o segundo relativo a um caso mediático que envolveu o Steve Jobs.

O João Cerqueira usou um artigo da Universidade de Yale com inúmeros problemas relacionados com enviesamentos de dados, discrepância entre o que se pretende avaliar e as métricas usadas para avaliar, com definições vagas e pouco objetiváveis que inutilizam qualquer conclusão, dados errados e associação de técnicas sem expressão na realidade nacional Portuguesa, etc… Mas acima de tudo o estudo não apresenta nenhum fenómeno de causalidade a demonstrar que os terapeutas convencem os doentes a deixarem os tratamentos convencionais.

Mas nada disto interessa. Não interessa que o estudo não esteja bem feito, não interessa que o estudo não demonstre nenhuma causalidade. O que interessa é que pode ser manipulado a ponto do João Cerqueira poder levantar a dúvida “que os tretólogos profissionais convencem as pessoas que esses tratamentos são prejudiciais… “(9)

Noutro caso temos o médico Vasco Barreto, claro admirador dos artigos do João cerqueira usar a mesma metodologia:

“Mas em momentos de grande vulnerabilidade, mesmo os mais brilhantes, como Steve Jobs, continuam a deixar-se seduzir por charlatões sem escrúpulos que vendem falsas esperanças”(4)

De seguida, o Vasco Barreto oferece-nos um link para um artigo que fala sobre este momento fatídico da vida de Steve Jobs (6).

Acontece que a história do Steve Jobs não tem nada a ver com “deixar-se seduzir por charlatões sem escrúpulos que vendem falsas esperanças”(4). Além das muitas incertezas nesta história (5), (6), se nos focarmos na sua biografia oficial a escolha de Steve Jobs teve mais a ver com as suas crenças pessoais (7) do que ser convencido por “charlatões sem escrupulos”.
De acordo com entrevistas do seu biógrafo:

“Asked why “such a smart man could do such a stupid thing”, Isaacson said: “I think he felt: if you ignore something you don’t want to exist, you can have magical thinking. It had worked for him in the past. He would regret it.”
Mr Jobs’s wife, Laurene Powell, told the biographer: “The big thing was he really was not ready to open his body. It’s hard to push someone to do that.” She pleaded: “The body exists to serve the spirit”.”(8)

Tanto o João Cerqueira como o Vasco Barreto criam os seus bodes expiatórios para conseguirem culpar alguêm pelos problemas que eles vêem no seu mundo. Fazem cherry picking e constantes traduções ou interpretações erradas das suas fontes de forma a poderem criar os seus bodes expiatórios.

1 – A maioria dos pacientes que recorrem às TNC não são pacientes oncológicos,
2 – A maioria dos pacientes oncológicos que recorrem ás TNC não é para evitarem os tratamentos de quimioterapia mas para conjugarem os tratamentos.
3 – Pacientes que são contra os tratamentos médicos procuram terapeutas cujas ideias se adequem às suas e evitam terapeutas que não concordam com eles.
4 – Existem terapeutas que se opôem à quimioterapia e existem terapeutas que não se opôem. Não existem dados corretos mas é um problema marginal.
5 – Inúmeros estudos mostram que uma elevada percentagem de pacientes oncológicos (50 a 80%) recorre a terapêuticas complementares (acupuntura, osteopatia, fitoterapia, homeopatia, etc…) sem colocarem em causa os tratamentos médicos convencionais.

O fenómeno de causalidade referido pelos 2 médicos é imaginário. Pode ser psicologicamente reconfortante mas dá uma ideia errada da realidade.

Super-heróis narcisistas

Acusar minorias dos problemas nacionais ou profissionais não é só uma forma de consolo psicológico. É também uma atitude narcisista patológica. (14) Ao se criar um vilão também criamos um herói. O João Cerqueira, o Vasco Barreto ou alguns acupuntores (SPMC por exemplo) pretendem vender-se como heróis. Mas tanto o vilão como o seu próprio heroísmo são imaginados. Alimentam uma postura arrogante coerciva e usam a agressividade de forma rotineira.(12).

Estas pessoas ou grupos criam conspirações narcisistas para poderem fazer bulling contra as suas vítimas. (13) A violência costuma ser verbal e psicológica mas pode evoluir para física. Exemplos de conspirações narcisistas típicas destes grupos: os médicos são todos uns vendidos da indústria farmacêutica (naturopatas, homeopatas), alguns acupuntores venderam o futuro da classe em cursos para fisioterapeutas (acupuntores), os terapeutas são todos contra a medicina e convencem os pacientes a não fazerem quimioterapia (céticos), etc…

O bullying vem na forma de ofensas públicas, ameaças sociais, judiciais (15) e físicas, exclusão de grupos sociais, ofensas verbais, manipulação da opinião pública, etc…

Conclusão sobre bodes expiatórios

O Sol nascera. Um manto branco de neve tapava as árvores que rodeavam a luxuosa mansão. E depois o silêncio. Fazia-se sentir e aumentava o medo dos criados e dos guardas. Quem teria coragem de entrar em casa? Porque não se ouvia barulho nenhum? O tempo passou e a ansiedade generalizou-se entre a criadagem e os guardas. Ao final do dia, ganhando coragem decidiram entrar na casa. Silêncio. Procuraram nas divisões principais e foram até ao quarto onde encontraram o paciente deitado no chão. De barriga para cima, murmurava uns sons irreconhecíveis encharcado na sua urina. Estaline sofrera um AVC. Estávamos a 1 de Março de 1953.
Um ano antes o próprio Estaline tinha começado mais uma purga e escolhera médicos e judeus como bodes expiatórios. Falava-se em “assassinos de bata branca” e em casos de mortes provocadas por médicos. E os médicos judeus eram a cereja em cima do bolo. Pouco depois os judeus começaram a ser atacados nas ruas e o próprio Estaline estava a considerar enviar todos os judeus soviéticos para os gulags. Os médicos começaram a ser presos e torturados. O próprio médico de Estaline acabou preso por lhe aconselhar descanso.
Cada vez mais agressivo e paranóico, Estaline via bodes expiatórios em todo o lado. Agora, encostado num sofá a morrer de forma lenta e agoniosa não tinha ninguêm para o tratar decentemente. Os médicos que o tratavam tinha medo de lhe tocar e diagnosticaram a doença sem sequer lhe tocarem. 1 dia depos continuava com a roupa cheia de urina. Os melhores especialistas soviéticos estavam presos.
Demorou 4 dias a morrer numa morte lenta e dolorosa. Os médicos presos foram salvos pela morte do ditador e até as altas patentes soviéticas sentiram alívio com a morte de Estaline.(10), (11)
Os bodes expiatórios são um reflexo da nossa ignorância, medos irracionais, personalidade e incapacidade de análise objetiva e profunda dos problemas que nos rodeiam. Regra geral arranjar bodes expiatórios é tão útil como prender médicos nos gulags para proteger a saúde dos altos dirigentes soviéticos.

Bibliografia

(1) https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/18978/1/O%20auto-de-f%C3%A9%20de%20Ant%C3%B3nio%20Ferreira.pdf
(2) https://nunolemos.com.pt/destruidor-da-classe/
(3) https://acupunturaemlisboa.pt/pulga-do-scimed/
(4) https://www.publico.pt/2019/04/05/ciencia/opiniao/parar-charlatanice-sao-medicinas-alternativas-1868143?fbclid=IwAR0EYJpU_n2kRv3GovS_AQyMZVJmFE4DlleteZoN90GKc8ZYbbLrmw_U0xU
(5) https://www.livescience.com/16551-steve-jobs-alternative-medicine-pancreatic-cancer-treatment.html
(6) https://www.forbes.com/sites/alicegwalton/2011/10/24/steve-jobs-cancer-treatment-regrets/#6ab6435c7d2e
(7) https://www.forbes.com/sites/alicegwalton/2011/10/24/steve-jobs-cancer-treatment-regrets/#6ab6435c7d2e
(8) https://www.telegraph.co.uk/technology/apple/8841347/Steve-Jobs-regretted-trying-to-beat-cancer-with-alternative-medicine-for-so-long.html
(9) https://www.scimed.pt/geral/tens-cancro-e-queres-viver-diz-nao-as-terapias-alternativas/
(10) https://www.historytoday.com/archive/months-past/death-joseph-stalin
(11) https://www.smithsonianmag.com/history/true-story-death-stalin-180965119/
(12) https://www.differentbrains.org/narcissists-and-scapegoats-a-comparison-of-traits-and-behaviors/
(13) https://thoughtcatalog.com/shahida-arabi/2018/03/the-narcissistic-conspiracy-scapegoating-smear-campaigns-and-black-sheep-how-narcissistic-groups-bully-their-chosen-victims/
(14) file:///Users/apple/Downloads/EndersScapegoating.pdf
(15) https://nunolemos.com.pt/spmc-os-pequenos-ditadores/