Encontro com a acupuntura esotérica

O Facebook é rico nos mais variados grupos e crenças. Na maior parte das vezes o facebook serve essencialmente para perder tempo. Algumas pessoas usam-no como plataforma de publicidade dos seus textos ou serviços (como eu!). Uma vez que sou acupuntor acabo por ter imensos grupos ligados a mim com todo o tipo de crenças.

Uma vez recebi um texto publicitário sobre “aceleração quântica”. Este texto falava sobre o Sol Central da nossa galáxia (é um buraco negro… enfim, pormenores técnicos). Mais recentemente recebi uma mensagem sobre “Acupuntura Esotérica”. O texto dizia algo do género:

“Com as mudanças inevitáveis e cíclicas da passagem da era de peixes para a era de aquário, somos levados a uma mudança interna que nem sempre acontece da forma mais suave.

O que nos leva a questionar internamente o nosso verdadeiro propósito de vida. E a missão que temos com os que nos rodeiam quer na nossa vida familiar, amorosa, social, ou profissional.

Cada vez mais urge um sentimento de insatisfação e de procura de re-ligação com o que gradualmente foi sendo abandonado e esquecido ao longo dos tempos…o nosso lado espiritual.

A acupunctura esotérica tem como desafio proporcionar uma mudança mais suave “nas crises de consciência” e também se revela como uma excelente e eficaz ferramenta para harmonização e evolução dos diferentes estágios no qual a pessoa se encontra.”

Eu adoro este texto e não estou a ser sarcástico. As razões pelas quais eu adoro este texto são simples: fica mais fácil separar a acupuntura da Medicina Chinesa da acupuntura baseada nas nossas crenças new age. A acupuntura esotérica não tem nada a ver com acupuntura clinica ou acupuntura chinesa.

Tenho escrito imenso sobre a mutilação dos termos chineses e em como esse cancro chamado New Age tem impedido a plena compreensão dos conceitos chineses e da Medicina Chinesa, no Ocidente. Falamos em “síndromes energéticos”, em “regular as energias do paciente” nas “energias positivas e negativas do corpo”, etc… sem nos aperceber que esses conceitos não têm nada a ver com Medicina Chinesa.

Mas agora já sabemos que existe a “Acupuntura Esotérica” que nos ajuda a fazer uma passagem suave da era peixes para a era aquário sem “crises de consciência” (nada como a astrologia para dar credibilidade à coisa!). Sem esquecer que nos ajuda a re-ligar com o nosso lado espiritual.

Curiosamente re-ligar é uma das origens da palavra religião e significa uma tentativa do ser humano em re-ligar-se às suas origens, ao seu passado, ao seu criador… neste caso ao seu lado espiritual – aquele lado mais antigo e esquecido neste mundo materialista.

Para me despedir da acupuntura esotérica

Mais uma vez continuamos a querer transformar a acupuntura em religião. A nossa crise de identidade cultural e religiosa leva a que procuremos novas formas de nos iludirmos face a um mundo que não compreendemos ou no qual não nos enquadramos.

Mas desta vez eu apoio… desde que lhe chamem acupuntura esotérica e não a confundam com a acupuntura da Medicina Tradicional Chinesa ou com novos campos de investigação credível na acupuntura. Até as fraudes merecem ser devidamente nomeadas.